Buscar
  • EngeDantas

Reclassificação de Monta. Como regularizar sinistros de Grande Monta e Média Monta?

Atualizado: Set 17

Você já participou de um leilão ou quis adquirir um veículo de segunda mão, mas não entendeu o significado das expressões pequena monta, média monta ou grande monta? No caso da grande monta, ela representa os acidentes que deixaram o veículo em situação de perda total. Aprenda a regularizar sinistros de grande monta na documentação do seu automóvel.



É mais comum do que você imagina não entender algumas especificidades da legislação do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) ou do universo dos seguros de automóveis.

Se você quiser saber de vez o que significa pequena monta, média monta e grande monta, esse texto é uma ótima pedida, já que vamos explicar um por um e te ajudar a entender a diferença entre eles.

Além do mais, explicaremos o que deve ser feito para regularizar a situação de um veículo com sinistro de grande monta de forma simplificada.

O que é um veículo de grande monta?

Antes de explicarmos como regularizar seu veículo com sinistro de grande monta, precisamos te ajudar a entender as diferenças entre veículos de pequena, média e grande monta.

Veículo com sinistro de pequena monta

O veículo de pequena monta é aquele que, de acordo com o Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN), são aqueles vítimas de danos que não prejudicaram a estrutura do automóvel e onde os reparos são geralmente simples.

Em casos de dano por pequena monta, o veículo pode circular normalmente após os reparos necessários. É importante lembrar que, após a avaliação necessária, esses veículos não são marcados na documentação no campo de observação por problemas de pequena monta.

Veículo com sinistro de média monta

Os veículos de média monta são aqueles que possuem danos estruturais em algum ponto, provavelmente após algum acidente. Porém, isso não impede que reparos sejam realizados após a comprovação de um engenheiro (que deve ser realizada por meio de laudos).

Após o reparo, o veículo poderá ser novamente avaliado e, se aprovado, ficará totalmente em situação regularizada. No entanto, no campo de observação do documento irá constar que o mesmo passou por recuperação de sinistro, denunciando que o veículo se envolveu em complicações. Ainda sim, isso não impedirá a circulação do veículo. Só poderá influenciar na queda do valor do leilão.

Veículo com sinistro de grande monta

Os veículos com danos de grande monta são aqueles que estão no fim da sua vida útil e podem ser automaticamente considerados como sucata.

Esses veículos, por conta do nível do dano, não tem direito à documentação, além do seu retorno de circulação ser proibido por lei. Proibidos de circular novamente, os documentos desses veículos são eliminados através do órgão de trânsito responsável.


Como regularizar sinistros de grande monta?

Tem vontade de adquirir um veículo com sinistro de grande monta, mas tem medo da burocracia do processo? Vamos te ajudar a simplificar a pós-compra de um veículo com sinistro de grande monta. Acompanhe a leitura.



Lembre-se que veículos com identificação no documento de sinistro de grande monta têm a circulação proibida. Logo, o mais recomendado é que o veículo seja desmembrado e as peças sejam vendidas em sucatas ou lojas de autopeças de segunda mão.

Caso um carro com dano em grande monta seja adquirido e ainda tenha a intenção voltar para circulação, o processo de regularizar sinistros de grande monta é um pouco mais laborioso que simplesmente se livrar das peças.

Primeiro, existe a possibilidade do carro ser vendido para a reciclagem. Nesse caso, o veículo só pode ser adquirido com algumas especificações. Uma das exigências é que o comprador seja uma pessoa jurídica cadastrada junto ao órgão de trânsito, ou seja, possua um CNPJ registrado.

Passo a passo para regularizar um sinistro de grande monta

  1. Antes de correr para a oficina, contate um engenheiro com habilitação do CREA para solicitar orientações quanto ao Laudo de Recuperabilidade, ou seja, uma documentação que tem como objetivo bloquear a documentação do automóvel, o tornando irregular, impossibilitando sua circulação, licenciamento, transferência e etc.

  2. Garanta a autorização prévia na unidade do Departamento Estadual de Trânsito – DETRAN, já que será necessário realizar uma inspeção de segurança no veículo bloqueado por motivo de sinistro.

  3. Quando receber a autorização, realize todos os reparos necessários e guarde os comprovantes, como notas fiscais do serviço e das peças adquiridas.

  4. Agora, você deve novamente obter o laudo de recuperabilidade, mas precisa estar assinado pelo engenheiro. Nesse passo, o engenheiro irá avaliar o veículo comparando a documentação antes e após os reparos necessários para seu desempenho.

  5. Leve o veículo para qualquer Instituição Técnica Licenciada (ITL). Essa ITL deve ser credenciada pelo Inmetro e homologada pelo Denatran para só assim obter o Certificado de Segurança Veicular (CSV).

  6. Certifique-se de fazer a vistoria de identificação veicular.

  7. Após isso, você precisará se dirigir até à unidade do Detran e solicitar o desbloqueio do veículo. É muito importante que você esteja com todos os documentos exigidos em mãos, inclusive o laudo de vistoria. Lembre-se de ir para a unidade de trânsito em que o veículo está registrado. Com isso em mãos, é possível solicitar o desbloqueio do veículo.

  8. Para emitir os novos documentos do veículo, volte à unidade de trânsito ou acesso o site do Detran da sua região, pesquisando por Débitos e Restrições de Veículos. Para confirmar o desbloqueio do veículo, você também deverá pagar as taxas de emissão dos novos documentos.

  9. Confirmado o pagamento da taxa de emissão de documentos, a unidade de trânsito deve emitir um novo conjunto de documentos (CRV/CRLV), que no campo de “observações” constará o número do Certificado de Segurança Veicular (CSC).

  10. Após a confirmação do pagamento da taxa de emissão de documentos, a unidade de trânsito vai emitir novo conjunto de documentos (CRV/CRLV) em que constará no campo “observações” o número do Certificado de Segurança Veicular (CSV). Esse número permanece no documento, mesmo após possíveis transferências de propriedade ou município, até a baixa definitiva do veículo.

Recebendo a documentação após regularizar sinistros de grande monta

Geralmente, para receber os novos documentos do veículo, basta se dirigir à mesma unidade de trânsito que você realizou todo o resto do processo.

Não esqueça de carregar consigo o número do protocolo e seus documentos. Pronto! Agora você já sabe como regularizar sinistros de grande monta.

#reclassificaçãodemonta #detran #detransp #engenheiromecânico #engenhariamecânica #despachante #pequenamonta #médiamonta #grandemonta #sinistro #percatotal #veículo #veículobatido #contran #laudoderecuperabilidade


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo